Avivar as nossas memórias sobre os doces.

Avivar as nossas memórias sobre os doces.

Aquela sobremesa feita para aquele dia especial, por alguém com uma receita maravilhosa, que tem mão para a fazer. A maioria das vezes são as avós que nos presenteiam com esse mimo. Elas empenham-se para os netos do mundo inteiro, com a sabedoria e o bom senso da idade. Tem no seu receituário a tradição da cozinha de cada região com um toque personalizado. E tem aquele tempo que é preciso para o fazer e ensinar aos mais novos.
Quem se lembra?
Parece que ainda temos o sabor na boca. Esses momentos tão bons, que nos aquecem agora o coração. Vamos relembrar em conjunto esses sabores, cores, formas, texturas e aromas.
Temos agora uma grande variedade em qualquer lugar onde nos encontremos, das mais simples e clássicas até àquelas que tem um requinte mais elaborado.

Quantas festas fazemos durante o ano em que apresentamos a sobremesa ideal para esse momento? Os bolos de aniversário, de cerimónias (casamentos, batizados, comunhões), dedicados aos familiares (dia do pai, dia da mãe, dia dos avós). Com estes doces damos valor a uma data ou pessoa e inclusive foram criadas receitas para homenagear o contributo de pessoas com reconhecido valor. Um doce cujo aparecimento se deve ao reconhecimento de uma pessoa com relevância é o brigadeiro. A sua criação dá-se no Brasil. Este delicioso bolo de chocolate teve a sua origem numa campanha presidencial de um dos candidatos. Os seus apoiantes participaram na campanha eleitoral levando doces, e destacaram-se uns quadrados de leite condensado com chocolate a que chamaram de brigadeiro, como referência ao candidato. Uma ideia simples e original. O bolo permaneceu para sempre, e é hoje uma presença assídua nos nossos dias.

A palavra sobremesas diz-nos que vamos colocar sobre a mesa, após a refeição, algo doce. Um doce para dar brilho e finalizar com encanto esse momento do dia, pois é o instante mais apelativo. E temos muitas escolhas. Desde pão-de-ló, pudins, semifrios, cheesecakes, bolos com fruta, bolos com frutos secos, bolos de chocolate, brigadeiros, bolos de bolacha, doces de leite, mousses, tortas, tartes, bolos com natas, com massa folhada, com massa quebrada, com gelatina, com vários tipos de creme, geladas, de taça, de colher, etc… mais aqueles que acabamos de criar! Podemos fazer um empratamento e colocamos na nossa mesa sobremesas que são uma obra de arte e os nossos olhos ficam maravilhados. E claro assim fazemos jus ao ditado “Os olhos também comem”. Aposte nesta dica para surpreender.

Gostamos de dar a conhecer algumas histórias sobre este mundo das receitas e sabores, e escolhemos uma sobremesa especial que o mundo inteiro conhece. A universal Mousse de Chocolate. A palavra mousse apareceu na Roma antiga. Naquela época usava-se uma mistura de mel com vinho chamada “muslum”, mas o tempo levou à alteração da palavra para “mulsa”. Na adaptação para francês surgiu “mousse”. A sua origem inicia-se em França. O significado mais literal será espuma, que é leve e areada. Começou a ser usada em França para pratos salgados, peixe e legumes, por volta do ano 1894. Por volta de 1900, o reconhecido pintor Henri Toulouse-Lautrec misturou chocolate a esta mousse que chamou “maionese de chocolate”, nome atribuído por ele a este doce. Este pintor também tinha arte para a cozinha. O nome foi posteriormente alterado para “mousse de chocolate”. À receita original foram-se adaptando outros ingredientes e cada um de nós dá o seu toque pessoal, tornando-a única e especial. Podemos colocar na receita café, gelatina, coco, laranja, algum licor e outro ingrediente que lhe agrade. É de fácil apresentação e fica sempre bem. Geralmente apresenta-se individualmente e a escolha facilita quem a serve. E se ao servir adicionarmos um toque com uma bebida alcoólica alcançamos uma personalização perfeita para alguns.

Apresentamos uma receita de “Mousse de chocolate com maracujá”:
Para 4 a 6 pessoas

Cozedura: 5 minutos, aproximadamente

Refrigeração: 4h, no mínimo

Para o molho de maracujá:
800 g de maracujá
Sumo de limão
50 g de açúcar

Para a mousse de chocolate:
150 g de chocolate de cozinha extra-preto (com, pelo menos, 60% de cacau)
80 g de manteiga
4 ovos
50 g de açúcar em pó

Preparação:
• Prepare o molho: Corte as maracujás ao meio, retire-lhes a polpa e passe-a por um passador fino. Adicione-lhe 2 colheres (sopa) de água, o sumo de limão e o açúcar; misture bem.
• Distribua o molho por copos individuais e guarde-os no frigorífico.
• Prepare a mousse de chocolate: Parta o chocolate em pedaços e coloque-os numa pequena caçarola com a manteiga cortada em cubos. Derreta-os lentamente, em banho-maria, até que o preparado fique liso. Retire a caçarola do banho-maria e deixe arrefecer; o creme de chocolate deve ficar com a consistência de uma pomada. Separe as claras das gemas dos ovos. Adicione 1 colher de (sopa) de açúcar às claras e bata-as em castelo firme. No chocolate incorpore as gemas, o resto de açúcar e misture bem. Retire 2 colheres (sopa) de claras em castelo e misture-as rapidamente, no creme de chocolate, para o tornar mais leve; incorpore, delicadamente, o resto das claras, levantando-as bem para não deslaçarem.
• Retire os copos do frigorífico. Deite a mousse sobre o molho de maracujá frio, tape e deixe espessar no frigorífico, durante 4 horas, pelo menos.
Bibliografia: “chocolate – col: LAROUSSE 100% sabor:-Ed.: EuroImpalaS.L., Sintra 2009”

Outras sobremesas individuais que se relacionam: natas do céu, baba de camelo, doce da avó, mousse com nata, profiteroles, tiramissú, estas são as mais clássicas e conhecidas.
As sobremesas dão-nos aquele tempinho de felicidade e de prazer.
Um mundo de sensações para ver em: https://frescassurpresas.com/loja/4?page=6